A garota no trem

Título : A Garota no Trem
Autor  (a): Paula Hawkins
Editora: Record
Paginas: 378
Sinopse: Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas.
Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida.
Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.
Devo confessar que o começo da leitura foi um pouco arrastado. O livro demora um pouco para ficar bom devido a Rachel passar uma parte do início do livro narrando sua decadência pessoal.
A garota no trem ficou entre os mais vendidos em todos os países onde foi publicado. Descrito por Stephen King como um excelente suspense foi comparando como sendo uma mistura de Garota Exemplar e Janela Indiscreta.
O livro é narrado por três mulheres Rachel, Megan (jess) e por Anna.
Algumas coisas que não me agradaram
As folhas são muito finas e o final é muito previsível e os personagens não são agradáveis quando ler o livro vão saber do que estou falando.
Mais se você gosta de um bom thriller, leiam o livro.