Entrevista com o autor do livro: Meu deus, mas que cidade linda. Rodolfo Melo

nome completo :
Rodolfo Moreira Melo (Rodolfo Melo)
data de nascimento :
08/09/86
cidade em que reside :
Brasília – DF
signo :
Virgem
time de futebol :
São Paulo
comida favorita :
Difícil responder. Eu adoro cozinhar e vivo procurando receitas novas. Mas, considerando um contexto emocional, elejo o bife com feijão e arroz que minha vó faz.
data importante :
Algum dia de dezembro de 1985, quando meus pais beberam, riram e se amaram sem imaginar que nove meses depois eu viria para este mundo para poder fazer tudo que fiz até hoje.
viagem inesquecível :
Adoro viajar pelo Brasil. Sou fã de cidades do interior! Mas a minha ida ao Uruguai foi bem interessante. Não tanto pelo lugar, mas pela companhia e experiências que tive por lá.  
lugar que deseja ir :
Não sou de fazer planos assim. Tenho curiosidade de conhecer todos os países do planeta. Mas, o desejo de ir depende muito das circunstâncias do momento.
uma cor :
Vermelha.
um filme :
Ai, outra pergunta difícil! Mas, sou apaixonado pelo O Fabuloso Destino de Amélie Poulain.
uma música :
Todo Mundo é Lobo Por Dentro, de Oswaldo Montenegro.
o que te levou a escrever o seu primeiro livro :
Quando eu era professor, não tinha dinheiro para nada. Nem mesmo para comprar um presente para minha namorada no nosso aniversário de namoro. Para não deixar a data passar em branco, escrevi um texto para ela, contando como foi o dia do nosso primeiro encontro sob a minha perspectiva.
O namoro não durou muito, mas a vontade de escrever situações do cotidiano continuou. Certo dia, mostrei meus textos para uma amiga e ela disse algo mais ou menos assim: “é bom, mas não é tão bom”. Posso dizer que foi naquele momento que passei a pensar de fato no texto. Estrutura textual, polt twist, etc.
Quando essa amiga finalmente passou a gostar de minhas histórias, o desejo de escrever um livro já era inevitável. Como forma de agradecimento, coube a ela a missão de escrever o prólogo do meu primeiro livro!
um sonho :
Ver uma de minhas histórias adaptadas para o teatro. Ou cinema. Deve ser bacana, né?
um autor(a)que você admira :
Difícil escolher apenas um, mas o primeiro nome que vem à mente é o de Rubem Fonseca.
uma frase :
Não curto frases prontas. Ou frases motivacionais. Mas, pra não dar uma de chato, deixo aqui a frase que está no status do meu whatsapp: “Toda forma de amor vale a pena”.
livro preferido :
Pelo contexto, Dom Quixote. Foi o primeiro livro que li e senti vontade de ler de novo. Posso dizer que a loucura daquele velho fidalgo me fez, e ainda faz, questionar muitos conceitos da vida.
um elogio que vc gostou de um leitor :
Uma vez, uma leitora me disse que chorou muito depois de ler uma de minhas histórias. Isso me deixou feliz. Não por gostar da tristeza alheia, mas por perceber o poder da minha escrita. O quanto um texto, que para mim é mais um texto, pode marcar a vida de alguém.
passatempo favorito :
Brincar com meus gatos e meu cachorro.
os personagens são baseados em pessoas que você conhece:
Não teve nenhum que fosse baseado totalmente em uma pessoa específica. Mas, seria uma mentira muito grande se eu dissesse que meus personagens não sofrem influências. Afinal, aquilo que escrevo é uma grande mistura do que vejo ao meu redor.