[Resenha] Nas Fases do Amor do Autor Glauco Stauffenberg por Nilton Alves

Resenha :




O Livro Nas Fases do Amor é de autoria do jovem escritor Glauco Stauffenberg e está sendo publicado pela Em Foco Editora em 2017.


O livro livro é narrado em forma de cartas que são trocadas pelos personagens Gabriel  e Hannah nelas são descritas os relacionamentos, amizades e os amores que os personagens tiveram. 

Nelas descobrimos que Gabriel e Hannah eram namorados mas que depois de várias tentativas de Gabriel para mostrar para Hannah que o relacionamento deles estava dando errado, devido algumas atitudes de Hannah que era muito ciumenta, ele resolve aceitar uma bolsa de estudos para ir estudar em Londres e assim dar um tempo para Hannah ver o que está dando errado na relação dos dois.

A história gira em torno das cartas trocadas por eles. 
 
Nelas descobrimos coisas do passado dos dois e como era a relação deles. 

Ao Lemos as cartas podemos ver que não só as atitudes de Hannah estavam erradas mas as de gabriel também. De certo modo os dois estavam feridos das suas relações anteriores. Também falam sobre perdas.

A cada virada de página, a cada parágrafo e a cada carta lida o autor consegue prender o leitor. Ele tem uma narrativa muito marcante que nos mostrar o que os personagens estavam passando, o sofrimento que eles passavam. 

Eu gostei muito dessa história.

Os personagens e o enredo são muito bem constituídos e a livro vai nos trazer várias surpresas, pode até fazer você chorar. Mas é uma leitura bastante válida, ela está cheia de ensinamentos que poderão fazer com que mudamos algumas atitudes que estamos fazendo de errado ou que melhore.

Convido vocês para conhecer essa história e descobrir o vai acontecer no final, será que vão terminar juntos?  afinal, O amor será capaz que sobreviver ao tempo e a distância?

Dou 5 estrelas para esse livro e recomendo a leitura para todos. Adorei a capa ficou linda.


Conheça um pouco sobre o autor :

O Mineiro Glauco Stauffenberg é professor de história, apaixonado por música e por histórias tristes.

Para escrever busca inspiração nos quintais da vida, no destino final, naquilo que não ousa dar nome.

As contradições do Barroco e dos jardins se fazem presentes na alma nômade do escritor que enxergar no profano uma sacralidade à espera de ser iluminada.